Saturday, September 04, 2010

CASA PIA - AMIGOS DE PEDÓFILOS

Encontrei há pouco uma coisa muito gira, ao rever muito do que foi publicado neste blog sobre o processo Casa Pia, sempre na perspectiva de apoio às vítimas (qual alegadas, qual caraças: vítimas mesmo!!!) e perseguição aos perpetradores (chamo-lhes "enrabadores", se bem não seja sempre assim: é o caso - confesso - do embaixador Ritto).

Vejam o que publiquei sobre o fadista João Braga , muito amiguinho do inocentinho Carlos C'uz:

"... após três anos de processo e audiências o fadista João Braga foi multado em € 3.000,00 e foi condenado a pagar ao Pedro Namora nada menos de € 50.000,00 (cinquenta mil euros).

O desbocado fadista (desbocado e marialva: em tempos gabava-se de não saber fazer nada na cozinha - nem estrelar um ovo; nem precisa, claro, já que acha que essa divisão da casa é o reino das "senhoras"...), o desbocado, dizia eu, que é muito amiguinho do réu Carlos Cruz, em 2004, junto à prisão onde o amiguinho estava arrecadado, teceu considerações sobre o Pedro Namora, chamando-lhe palhaço (insulto muito corrente entre a desqualificada malta da bola...) e insinuando que ele teria usado métodos estranhos (que especificou) para financiar a sua licenciatura.

O Pedro Namora não se ficou (e muito bem!) e agora o fadista amigo e defensor de putativos pedófilos vai ter que cair com os carcanhóis, que é para aprender.

Bem feita! "

Uma delícia!

4 comments:

José said...

Eu Ouvi na televisão, tudo tal e qual está aqui escrito, este João Braga para mim também deixa muito a desejar, não o ouvi comentar a sentença se calhar é melhor ele estar calado.

Maria de Fátima said...

nojo

Luís Maia said...

Prefiro ficar-me por uma afirmação

Eu nunca deixaria cair um amigo, fosse qual fosse o crime que ele cometesse, mesmo que o crime em si me repugnasse , um amigo meu contaria sempre comigo.

Outra coisa é ofender terceiros

Marques Correia said...

A questão aqui não é só ofender terceiros.
O fadista ataca o Pedro Namora que é um dos antigos alunos da Casa Pia um dos que desde há muito vinham denunciando os abusos de que os putos eram vítimas com a complacência de quase toda a "gerência" da instituição e por aí a cima. As atitudes da secretária de Estado (nos anos 80) eram nitidamente de reprovação das queixas dos putos contra senhores acima de qualquer suspeita.
O ataque do fadista insere-se precisamente nessa linha: ele não se limita ao lírico não deixar cair o amigo mas ao seu apoio militante, contra as vítimas que não acusam só o amigo. Assume, pois, uma posição no processo.
Ainda por cima, o fadista é burro e mal informado porque a posição do Pedro Namore em relação ao Carlos C'uz foi sempre (que eu me lembre) bastante respeitosa e cautelosa, porque não tinha conhecimento directo do seu envolvimento.
Digo eu...